Laffa

Minha foto
Brincalhão, Caretão, Chato, Educado, Inteligente, ( nem tanto, por que dói ! ) Simpático ( Depois de três garrafas de vinho, é claro !) Bom ouvinte, Falo quando pedem ( pois nem sempre querem ouvir a verdade ! ) Enfim, este sou eu... ... baguá mor.

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

video

"Viver intensamente cada momento 
Ser quem você é, ou quiser ser
Enfrentar tudo e todos de peito aberto
e ser feliz custe o que custar
poder voar passarinho 
E o que vão pensar ? 
Azaaaaarrrrr..."

sábado, 2 de setembro de 2017

QUANTO CUSTA A SAUDADE?

"Este poema tem tudo haver com meu dia de hoje..."

A saudade de alguém que foi embora,
de um amigo, de um amor, de um parente,
de alguém que não está mais com a gente,
com o peito adoentado a alma chora.

Feito gripe que de noite só piora,
uma dor maior que vinte dor de dente,
judiando inté do cabra mais valente
sem sentir pena, dó, nem piedade.
Quer saber quanto custa uma saudade,
tenha amor, queira bem e viva ausente.

Tanto amor no meu peito estocado,
esperando por você que já partiu,
tão depressa, nem sequer se despediu,
vez por outra me pergunta agoniado:
se saudades mora mesmo no passado,
por que é que ela vive tão presente?

Hoje eu olho mais para trás do que para frente,
pra lembrar que já senti felicidade.
Quer saber quanto custa a saudade,
tenha amor, queira bem e viva ausente.

A saudade observando a minha dor,
me levou para mesa de cirurgia,
sem ao menos aplicar anestesia
segurou meu coração e arrancou.
Nessa hora até a saudade chorou
percebendo todo mal que faz a gente,
viu seu nome gravado em ferro quente
deu remorso do tamanho da crueldade.

Quer saber o tamanho da saudade,
tenha amor, queira bem e viva ausente


( Braulio Bessa - Poeta )


terça-feira, 8 de agosto de 2017

A MESA DO BRASILEIRO

O Brasil de Norte a Sul
do Sudeste ao Nordeste,
passando pelo Centro-Oeste,
embaixo de um céu azul,
do chão brota um menu
tão completo, tão inteiro:
do morango ao cajueiro,
sabores tão diferentes,
mas falta um ingrediente
na mesa do brasileiro.

Tem churrasco lá no Sul,
tem cuscuz do Nordeste,
queijo minas no Sudeste,
na Bahia sururu,
no Centro-Oeste o menu
tem arroz de carreteiro
e das mãos do canoeiro,
peixe assado e pirão quente,
mas falta um ingrediente
na mesa do brasileiro.

Cocada, acarajé,
temos doce de goiabada,
a moqueca capixaba,
tem cachaça, o nosso "mé",
um pãozinho com café,
os legumes do roceiro
e do mar o jangadeiro
traz mil peixes diferentes,
mas falta um ingrediente
na mesa do brasileiro.

Falta solidariedade
temperando essa fartura !
Mais doce que rapadura
é o mel da igualdade.
Pitadas de honestidade,
mudaria esse roteiro,
do doutor ao faxineiro,
do famoso ao indigente,
seria bem diferente
a mesa do brasileiro.

( Bráulio Bessa - poeta nordestino )