Laffa

Minha foto
Brincalhão, Caretão, Chato, Educado, Inteligente, ( nem tanto, por que dói ! ) Simpático ( Depois de três garrafas de vinho, é claro !) Bom ouvinte, Falo quando pedem ( pois nem sempre querem ouvir a verdade ! ) Enfim, este sou eu... ... baguá mor.

domingo, 31 de maio de 2009

Quer ter alguém para chamar de seu ?


Então aceite de coração aberto essas dicas:


1. Jamais tente ser alguém que jamais foi;

2. Evite mentirinhas desnecessarias do seu passado;

3. Não espere mais do que nem você mesmo pode ser;

4. Dê um presente sem esperar uma data comemorativa, seja apenas uma flor roubada do jardim da vizinha;

5. Ouça sempre;

6. Fale sempre;

7. Abraçe forte como se fosses a última vez;

8. Não tenhas vergonha de dizer algo que sentes;

9. Jamais espere ouvir algo que não sejas dito pelo coração;

10.Pense por dois, haja por dois, viva por dois em um único momento.


Lembre-se: Ninguém é dono de ninguém !

"Você terá a coisa mais importante do mundo, sem possuí-la"

quarta-feira, 27 de maio de 2009

O que pensar,...


Deste mundo de caos aonde não vejo sentimentos?
Olho pela janela o barulho ensurdece,
As pessoas se agridem verbalmente no transito caótico,
E o céu cinzento da grande metrópole que nos adoece.

Cadê os sentimentos que verdadeiramente salvavam?
Quais eram mesmo?
Ambição?
Avareza?
Egoísmo?
É, realmente vivemos uma grande pobreza !

Cada vez mais pessoas morando e vivendo sozinhas.
Cada vez mais pessoas se matando sozinhas.
Num egoísmo de sentimento.
Culpam a violência, a falsidade, a inveja e por ai a fora...

Ninguém mais quer saber de namorar neste meio ?

Me sinto como uma ave Dodo,
Último da espécie,
A caminho da extinção total

Amigo, você que agora lê este desabafo por favor,
Não deixe de sonhar com sua felicidade “á dois”
Lembrem-se...

... Não se joga vôlei sozinho,
Não se anda bem arrumadinho, se não for para ser notado por alguém,
Não há festa se não tiver pessoas,
Não há um bom livro se ele não for escrito por um estranho.
Enfim, não há o que pensar,
Sem ter em quem pensar !

terça-feira, 26 de maio de 2009

As três formas de dizer,...


... algo esquecido.

Me chamo Antonio, como tantos outros nesse país de Silvas.
Tenho quarenta e sete anos e sou pai de um casal de gêmeos já no auge dos seus dezoito anos, e sou bem casado com Silvia.
Sou psicólogo já algum tempinho e minha linda esposa pedagoga por vocação. Aonde dirige uma escola para crianças especiais.
Já eu trabalho numa clinica de reabilitação de dependentes químicos de luxo.
Aonde em sua grande maioria são filhos de políticos, empresários e pessoas de alto poder aquisitivo.
Sou filho de Dona Dora que perdemos a menos de três dias.
Somos apenas dois filhos que hoje estamos órfãos de mãe e pai.
Pai já falecido a mais de trinta anos.
O que não se tornou tão doloroso como hoje, entrar na casa de minha amada mãe depois de sua partida.
Preciso buscar fora dos livros e da razão alguma verdade para este momento que sabemos que é certo na vida: a partida.
Minha irmã não conseguiu vim, pois esta numa profunda e triste depressão.
Paro meu carro em frente a casa rosada construída por meu avó a mais de oitenta anos. Sabemos que é uma casa quase secular devido ao ano de construção colocado no alto, 1921.
Sempre bem conservada pela dona Dora, aonde cresci e fui criado com o esforço de uma guerreira que soube lutar e educar seus dois filhos após a morte de seu marido em decorrência de um câncer.
Paro no portão e vejo as lembranças de uma criança feliz correndo para se esconder com os amiguinhos durante uma de nossas básicas brincadeiras de esconde esconde.
Ao abrir o portão o sempre bem cuidado jardim de minha mãe, que era palco frustrado de nossas investidas para esconder-se atrás de suas hortênsias azuis quase que celestiais.
Sempre éramos tirados a vassouradas, ou quando ela estava de bom humor entregues com gestos aos nossos algoz por ela da janela apontando nosso esconderijo.
Lembranças tão puras que esquecidas com o tempo vem a tona neste momento.
Caminho em direção a porta e ao aproximar-se da pequena escadaria vejo vaso de flores de vizinhos que não foram ao velório por toda varanda.
Reparo que o jardim tão amado por minha mãe que sempre dizia preferir lidar com plantas a lidar com gente estavam molhadas.
Algum vizinho sabendo da importância das rosas, hortênsias, azaléias, jasmim,... para minha mãe, procurou cuidar destas órfãs como eu.
Abro a porta e no silêncio da casa que jamais se ouvir durantes estes mais de quarenta anos, sou tomado por lagrimas que não sei descrever de onde vêem.
Tudo arrumadinho como numa típica casa de vovó.
Cortinas brancas bordadas por ela durante sua novela nas janelas fechadas que abro e deixo a brisa bailar com elas.
Tudo é a triste lembrança de minha amada mãe.
Um suave aroma comum me desperta enquanto me aproximo do lugar mais querido por todos que aqui vinham, sua cozinha.
Quitandeira de mão cheira. Não tinha na região quem não conhecesse sua fama e sempre lotada de encomendas.
Bolos de todos os tamanhos, pães trançados, coxinhas de mandioca, olho de sogra, brigadeiro então era uma briga constante com Irma, primos, amigos para ver quem ficaria com a panela para passar o dedo.
Ao invadir a cozinha silenciosa vejo em cima da mesa algo coberto com um pano de prato branco todo bordado, retiro e tamanha minha surpresa em ver meu bolo preferido “formigueiro” fresquinho me esperando.
Como uma última e gostosa despedida.
Um Adeus meu filho !
Sento na cadeira de frente para meu presente, uma voz das minhas lembranças me diz:
- Filho amado, quer ser uma pessoa de bem consigo mesmo?
- Claro mãe.
- Então siga esta pequena receita:
- Primeiro, jamais deixe para amanhã o abraço que você pode dar hoje.
- Segundo, elogie sempre as pessoas que estão a sua volta, seja nas pequenas ou grandes atitudes.
- E por último e mais importante, diga a pessoa que ama o quanto ela é especial para você.
- Se não for bom nas palavras como eu meu filho, faça um bolo !

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Conversa com amigo no msn.

Já pensou como serias sem graça você ter tudo e poder fazer tudo o que queres, sem precisar lutar por nada ?
Lógico que as vezes é chato, você querer comprar algo no shopping e não ter dinheiro.
Mas, é tão bom você ter a pessoa que gostas ao seu lado, sabendo que o único interesse dela é você.
Tão gratificante poder sair para onde for mesmo com ou sem grana, e saber que aquele momento foi único repleto felicidade.
Em casa se alguém descarrega os problemas em você, tenhas certeza que você é a pessoa que ela mais ama e confias, psicologicamente falando você é o apoio dela.
Muitas vezes não percebemos o quanto somos importantes para muitas pessoas e para nós mesmo!
As vezes você é a lua, no outro o sol;
as vezes um pontinho solitário no céu azul, no outro uma constelação;
outras a maior montanha e as vezes um vale sem fim.
Saber lidar com cada situação e ter sempre um sorriso no rosto, é agradecimento por ter saúde e estar vivo, é tudo amigo!
Lidei com crianças que mesmo lutando para viver.
Cada uma com um tipo de câncer, e mesmo assim sabiam sorrir.
E depois morriam !
E nós aqui reclamando de problemas que se tornam banal.
Então não reclames por que os passarinhos não cantaram hoje cedo como querias,... Assobie é fácil !

quarta-feira, 20 de maio de 2009