Laffa

Minha foto
Brincalhão, Caretão, Chato, Educado, Inteligente, ( nem tanto, por que dói ! ) Simpático ( Depois de três garrafas de vinho, é claro !) Bom ouvinte, Falo quando pedem ( pois nem sempre querem ouvir a verdade ! ) Enfim, este sou eu... ... baguá mor.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

DOCE LEMBRANÇA DA INFÂNCIA

Casa de mãe "quase" tudo podia
Cheiro de feijão cozinhando na panela de pressão
Ar de casa limpa
Brisa soprando na cortina branca da sala
Amiguinhos chegando para brincar
Cachorro latindo no portão
Televisão ligada no desenho do pica pau
Mãe ao telefone discutindo com minha tia sobre meu tio que bebia
Enfim, uma criança feliz numa casa brasileira com certeza !


Hoje moro na loucura da grande metropole
Num apartamento silencioso
Sozinho na janela cercado de grandes edifícios
Numa prisão da felicidade.

Não quero mais ser uma pessoa viva sem vida
Que anda sem rumo,
que só conhece o caminho do shoping
Como sair deste coma da alma ?
Já sei o que fazer !
Talvez se colocar uma planta na sala,
Nem que seja um vasinho de violeta.
Deixar as janelas sempre abertas,
Renovando o ar tão carregado
E quem sabe uma cortina branca de seda
para bailar com a brisa.

Arrumar um animal de estimação
Para ter com quem conversar quando chegar
E assim poder dizer: Querido, cheguei !
Vale até um peixinho beta.

Já na cozinha...
vou evitar frituras
Dar um descanso ao velho microondas.
Vou tentar cozinhar um feijão fresquinho
Sem se preocupar se vou queimar.
O importante nesta vida, é tentar !
E depois de um dia tenso,
Chefe estressado, congestionamento, ônibus lotado,...
Quero chegar no meu recanto,
me jogar no sofá e poder assobiar

E por que não colocar um cd com os hitz dos anos oitenta?
Isso sim será uma doce lembrança
Das discotecas que ia escondido do pai
chegando até pular janela depois que dormiam.
Essas escapadinhas já renderam muitos castigos

Hoje dizem que é brega anos oitenta
Mas o brega é sempre um clássico em alta
E como quem tira a garota mais linda do baile para dançar,
E sem medo de no próprio pé pisar,...
Um prá lá,
Um prá cá
Quem num momento de alegria, euforia, felicidade
não dançou sozinho ? Ou com uma vassoura ?


Chega de medo
Pare de vergonha
Largue de dedo
A vida é tão curta
A infância passa tão rápido
E com ela a essência da pura felicidade
E quando percebes já se foram
As doces lembranças !




7 comentários:

Rafael disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rodrigo disse...

oieee
tudo bem com vc? ta sumido heinn tocom saudade...
A boa palavra se alimenta de slinecios e pausas, um grande poema costuma nascer de profundas e fecundas experiencias de comtemplação da realidade, o poeta, ao enxergar o silencio do ainda não dito diante dele se prosta e o experimenta, e somente depois se reveste de palavras...
só o amor nos socorre do esqucimento, retira do definitivo do lapide,por que sobrevive na continuidade do que palntamos,,, adoro vc bjo

Cláudio Moura disse...

Simplesmente S-E-N-S-A-C-I-O-N-A-L!!!!!

Dificil alguém ler e dizer que não se identificou, ao menos com uma frase, uma linha do que você escreveu, diga-se de passagem, muito bem! Até senti o cheiro do feijão cozinhando ao chiado da panela de pressão!! - hehehe!!!

Mais uma vez, maravilhoso! Parabéns, Laffa!

Guizão disse...

Laffa ! Querido Laffa...
Você é especial...
Parabens pelo blog... pelo post..
É difícil mesmo... conseguir ser voce mesmo nos dias de hoje..
Só voce mesmo pra escrever algo tão... autentico e original =)))

Parabens...bjo na boxexa com mt carinho ;)

Van disse...

No final sempre fica a lembrança da nossa infância. Quer coisa mais gostosa de que lembrar de comida de mãe? Não tem não e mesmo amado. Lembranças da infância tem jeito de aconchego de colo...Coisa que na correria do dia-a-dia as vezes esquecemos. Quem não sente falta de andar descalço na chuva?Tocar a campainha na rua e sair correndo? E mais uma vez acertou em cheio no seu texto Amore. Lindo tem jeito de criança grande que sente falta de MÃE...BJ

Marcos disse...

Viva a vida, salve o amor!!!!!
Assim como diz todos os seus textos.
O mais engracado è que na maioria das vezes nao conseguimos ver o belo nas pequenas coisa. E quando temos essa sensibilidade vemos como a vida è bela, è um espetaculo fantastico, sem ter como voltar atras.
Acredito que na infância a nossa sensibilidade era aflorada, rimos e choramos com facilidade, epoca inesquecivel, sem preocupacoes, sem pensar em trabalhar pra poder pagar aluguel, compra comida enfim...
Se pudessemos voltar atras e sermos eternamente criancas, seria otimo... mas infelizmente nao tem como, e por isso devemos ser e pensar como adutos e sentir como criancas, infeliz daquele que inverte os papeis, pois jamais sera maduro o suficiente pra dar valor e ser ator principal na mais importante peca teatral, no palco da existencia.
Seja uma eterna crianca, guri, esta sendo um grande prazer conhece-lo.
Forte abraco!

MArcos Cota

sidnei disse...

Uma vez eu disse para vc que admirava a sua inteligencia agora tambem, o fato de vc ser um romantico me faz pensar em vc ao menos uma vez por dia, a cada momento que passa percebo que vc não apenas tem qualidades mas que tambem
a sua alma e´linda...